Deambulando sobre o significado do Amor, daquele amor que vem de dentro, daquele amor interno e incondicional. Amor interno que se estende ao outro, a todos os outros, seres sagrados vivendo esta experiência humana/animal, estendendo-se também a tudo o que compõe este o universo divino.
Porque Amar é entender a dimensão divina de tudo o que me rodeia. É Ser compassiva com o humano e o animal que me corre nas veias e abraçar a minha imperfeição.

sao_francisco2

Então…
Amar é, antes de tudo o mais, dizer sim à vida, a toda a vida que pulsa de dentro e que corre cá fora.
Amar é ser compassivo com a ofensa, pois só esta nos traz a possibilidade do perdão.
Amar é entender a discórdia, pois com ela nos podemos abrir à união.
Amar é aceitar a dúvida, pois é através dela que partimos para a fé.
Amar é entender que tudo é perfeito no erro, pois só este nos leva à verdade e à sabedoria.
Amar é dar alento ao desespero, pois é nesses momentos que a esperança nos abre a porta.
Amar é ser alegre, porque se conhece a tristeza.

Amando aprendo eu animal humano, que sou divina, neste cenário de aparentes opostos.
E no palco desta dimensão mundana, não existe luz sem que se faça sombra. Mas neste aparente palco, o Amor acontece em todas as faces, em todas as máscaras, que se contêm e se expressam, que se separam e se unem, num espaço e num tempo, mas que na verdade são eternas e sem fim.

Amo-me, consolo-me, compreendo-me e assim estou pronta para te amar, como cada um que és e como cada qual que és, com toda a humanidade divina que me corre nas veias, nas minhas e nas tuas.”

 

Deambulação inspirada em São Francisco de Assis.

Gostou? Não se esqueça de partilhar com os seus amigos! Muito obrigada!

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *