Esta Jornada pretende ir um pouco mais profundamente nas dinâmicas Yin/Yang de cada mulher e da forma como estas se revelam nos nossos relacionamentos íntimos, pessoais e profissionais e na nossa forma de estar no mundo. Trabalhamos ainda com a Roda da Vida, as estações do ano e as luas para aceder mais profundamente aos Arquétipos individuais e universais de cada uma de nós, sob a forma de deusas e heroínas. O ciclo menstrual e as suas 4 fases, as 4 luas (nova, crescente, cheia e minguante), as quatro estações estabelecem relações com a dualidade da vida. É uma abordagem xamânica de ligação com a natureza, com a sabedoria instintiva do corpo, com a energia sexual que pulsa vida do nosso útero, com o espírito selvagem que nos esquecemos SER.

Assim começamos, e partindo do principio que tudo o que acreditas no teu íntimo dita a tua realidade, e que essa realidade é um espelho do que mais profundamente sentes, pergunto-te:

Mulher, como é a tua realidade, a vida à tua volta?

Tens, ou tiveste, um relacionamento saudável com o sexo oposto? Como está a tua sexualidade?

Sentes-te bem como mulher? Sentes-te bem no teu corpo?

Consegues manifestar o teu valor pessoal no mundo? Estás realizada profissionalmente? Existe satisfação naquilo que fazes?

E se eu te disser que tudo está relacionado?

A Jornada dos Arquétipos Femininos é um conjunto de vários workshops (funcionam como um conjunto ou individualmente) e vão mais fundo no que são as dinâmicas internas e externas dos arquétipos femininos.


junganimaanimus

A dança entre os opostos é a dança da vida: do interno ao externo, do parar ao agir, do positivo ao negativo, do controlo à confiança, do medo ao amor, etc.
Esta dança dá o mote para a expressão dos relacionamentos, grande parte das vezes de uma forma inconsciente. Será que a integração dos opostos te está a trazer relacionamentos equilibrados?

Esta é uma jornada em busca do Yang dentro do Yin, do Yin dentro do Yang, na dança dos opostos que é o motor da vida. Vamos fundo no íntimo da mulher para descobrir as nossas crenças do feminino e do masculino. Trazer essas crenças à luz e ver, na prática, de que forma elas nos limitam a expressão de um feminino inteiro e pleno.

Quem quiser juntar-se à viagem irá mergulhar nos aspetos duais da Mulher, explorar as crenças sobre o feminino e o masculino e transcender as limitações da expressão de uma mulher inteira, selvagem, que conhece o seu ciclo, a sua sexualidade, a sua força criadora, a sua força destrutiva, a sua fertilidade, a sua sombra e a sua luz!

Consulte a nossa Agenda, para saber qual Jornada que se encontra em andamento!