Olá, o meu nome é Ana Carvalho e tenho 47 anos. Nascida e criada numa aldeia no interior de Viseu (Portugal) hoje a viver numa grande cidade (Porto) com marido e filho, gata e cadela, quintal e jardim. Com terra debaixo dos pés e cabeça nas estrelas, de coração a vibrar em toda a criação, tentando entregar-me à magnitude da vida.

Quando fiz 27 anos algo mais profundo gritou de dentro de mim, quando numa noite de inquietude, desenhei um circulo de sal no chão do meu quarto e entrei espontaneamente em estado alterado de consciência. Viajei até quando era criança e lembrei-me de memórias de dor que tinha enterrado, por medo, por insegurança e desconfiança da vida.

Nessa altura era Arqueóloga, passava dias a fio sozinha no monte a fazer levantamento arqueológico, e isso fez com que, para além dos antepassados que tanto buscava, quem encontrei nos montes inóspitos batidos a vento, foi, nada mais nada menos, que uma ânsia de me encontrar a mim mesma.

Fui, então, como que empurrada, a adentrar-me numa aventura de autodescoberta, através do estudo e prática várias disciplinas espirituais, com especial paixão pelo Xamanismo e pelas práticas milenares de conexão com a natureza.

Mas foi só passados 7 anos, aos 34 anos de idade, que me apercebi, com uma profunda clareza, das várias máscaras que usava e que se adaptavam, mudavam e maleavam, de forma automática e muito rápida, numa tentativa de corresponder à expectativa de quem tinha à minha frente.

Havia muitas Anas a viver dentro de mim, e nenhuma delas era eu.

A pior coisa, durante anos, que me podiam perguntar, era como me sentia. Eu não sabia responder, eu não me sentia. Então comecei o caminho do sentir.

Quando há 12 anos comecei as práticas xamânicas com tambor, comecei o resgate do feminino em mim, que dura até hoje. Procuro pontes para o casamento cósmico com o meu masculino, vibrando entre a imponência da montanha, o apertar do sol primaveril e a calmaria do regato, da frescura das águas de rios e mares. Procuro e encontro no meu sentir, quem esqueci ser.

Foi difícil, sei que o mundo desabou várias vezes ao longo da minha vida, mas esses extremos de dor foram necessários para fazer de mim quem sou hoje.

Sou arqueóloga por natureza, procurando descobrir os segredos de tudo o que não é dito, de tudo o que não é visto. Sou arqueóloga da Alma em busca aquilo que não é conhecido, aquilo que está na sombra, os pedaços de nós que deixámos de amar e que debaixo da superfície não é visto.

Hoje ajudo pessoas na busca de si mesmas, a encontrar novos caminhos dentro de si, onde se possam sentir seguras e confiantes, para as ajudar a olhar para a vida pelos olhos de quem são de verdade, para poderem viver mais alinhadas com o seu propósito.


Algumas Formações Profissionais:

  • Formação em Psicoterapeutas Clássicos de Xamanismo Transcultural (2021) pela Sandra e Jorge Ramos do Instituto de Ciências Integradas (ICI), com nota final de 20 Valores.
  • Consciência Sistémica (2020-2022) pela Maria Gorjão Henriques do Espaço Amar
  • Curso Terapeuta da Origem (2020 – a decorrer) pelo Instituto Ivan Bonaldo
  • Psicogenealogia Viva (2020) pela Letícia Baccin do Instituto Liz
  • Pós-Graduação em Psicologia Analítica (2019-2020) pela International Academy of Analitical Psichology (IAAP – Braga)
  • Mediadora em Cura Arquetípica (2014-2019) pela Erica Poonam da Associação Europeia de Saúde Emocional
  • Antigo Tantra Kriya Yoga (2013) pelo Anand Rudra da EATP- European Association of Tantra Professionals – 2013
  • Medicine Cards, Curso de Cartas de Cura Xamã (2012-2013) pela Ana Paula Lago
  • Ciclo de Aprofundamento em Xamanismo (2010-2011) pelo António Paiva
  • Especialização Avançada em Desenvolvimento Sustentável (2007-2008) pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto
  • Usui Shiki Reiki Ryoho I, II e III (2003, 2005, 2009) pela Jaqueline Reyes
  • Licenciatura em História, Variante de Arqueologia (2004) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra